Crise dos 30 (jobs): onde está a criatividade?

O que fazer quando você precisa de uma super ideia, e ela simplesmente insiste em não vir? Em um ambiente de agência o desafio é a criatividade! É muito comum termos projetos acontecendo ao mesmo tempo, curtos prazos, verbas reduzidas e a incerteza de uma ideia ousada e promissora ser podada na apresentação.

Mas como manter-se positivo e operante em um dia a dia onde todos esperam de você nada a menos do que uma ideia brilhante, genial e inovadora?

Abaixo seguem algumas dicas deste jovem Diretor de Criação que vos fala e que precisa de criatividade todos os dias:

  1. Afie o machado

Em um curso de criatividade, vi um diretor de uma grande agência comentar sobre “ciclos” de criação. É muito comum para alguém da criação ir direto para a arte, porém é preciso passar por alguns ciclos que vão amadurecendo o conceito da peça.

Separe sua etapa de criação em leitura / sketch / pesquisa antes de colocar a mão na massa. Aqui na agência temos um ditado do nosso chefe J “Afie o machado antes de sair cortando”, e é isso. Alinhe suas ideias, defina o que deve ser feito, discuta com a equipe suas ideias, colha feedbacks, pesquise referências… Junte todos os insumos para sua criação.

  1. Conga la conga

Muitas vezes as ideias sofrem um bloqueio porque estamos nos sentindo pressionados ou nervosos. Nesse caso, uma música que nos acalma e que nos desperta as melhores sensações pode ser o gatilho para conseguir colocar sua criatividade a ativa novamente. De Mozart a Gretchen, fique à vontade para criar este ambiente divertido e seguro que faz desabrochar a sua criatividade.

  1. Uma fatia de bolo, por favor

É comum buscarmos referências visuais e benchmarking para criarmos as peças, mas uma etapa imprescendível no processo de criação é a da pesquisa. Crie boards, paineis no Pinterest, vá ao Behance, imprima, cole na parede.

Lembro que na faculdade, aprendi várias metodologias, mas era tão mais fácil pular para a etapa de criação e deixar a criatividade fluir livremente não é mesmo? Não.
Já pediu uma fatia de bolo maravilhoso, bem chocolatudo com a cobertura brilhante deslizando ao cortar com a faca e após dar a primeira garfada ver que ele não era tão bom assim?

A funcionalidade deve ser tão boa quanto a estética. Gaste tempo colhendo dados, aperfeiçoe suas técnicas com os softwares de edição, veja tutoriais e se permita aprender coisas novas enquanto cria.

  1. Esta é a arte que a sua empresa precisava

Pessoas criativas geralmente são introvertidas, porém neste mercado sabemos que nem sempre uma boa ideia se vender por si só. Lidar com clientes que muitas vezes não tem cultura de agência ou um repertório visual e de mercado apurado, faz com que muitas boas ideias não sejam implantadas.

Uma boa peça de comunicação seja off ou digital vai muito além de um texto e layout bem executados. É preciso conceito, repertório e defesa. Afinal, contra fatos não há argumentos, correto?

Defenda sua arte, argumente, seja técnico ao explicar suas referências e inspirações, encante seu atendimento e cliente com a sua ideia, faça ele se sentir parte dela.

Bonus track

Além disso tudo é comum chegarmos ao final do dia e não termos a ideia para aquela peça bacana ou para a campanha do cliente. Por isso cerque-se de boas referências visuais, saia para um passeio no mercado para ver embalagens, assista a série do Netflix que ainda não conseguiu ver, tome um café na sua padaria preferida, vá ao happy hour com os amigos e não se culpe! Porque no fim, ainda somos humanos 😉

Sobre o autor

Adroaldo Foletto

Criativo, antenado, ambicioso e com um belo toque de sarcasmo, esse diretor de arte faz os nossos dias ficarem mais divertidos - e estilosos!

Gostou deste artigo?
Então assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo especial e GRÁTIS.