Métricas: você sabe medir seus resultados?

Os números. Ah, eles vêm de todos os lados e teoricamente deveriam nos ajudar a avaliar se uma ação foi bem executada e se vale a pena ou não. Mas nem sempre é fácil interpretar as métricas, não é mesmo? (Quem é de Humanas vai se identificar com a redatora aqui)

Maths GIF - Find & Share on GIPHY

Mas vale a pena entendê-los pois quando bem analisadas, as métricas de marketing digital podem revelar tesouros. O que não está funcionando, o que deu certo ou não, oportunidades e ainda apontam a direção de ações futuras, seja em questão de conteúdo, layout, dias, horários, público e outros.

Cada negócio tem o seu objetivo específico e metas, então não temos regras no marketing digital, tudo é personalizado para a sua realidade. Mas a nossa principal dica é: não se preocupe apenas com as chamadas “métricas da vaidade”.

Sem dúvida, seu chefe valoriza muito mais aquelas métricas relacionadas a vendas, geração de oportunidades ou redução de custos. Por isso, chegou a hora de você conferir o que precisa medir na sua estratégia para realmente gerar resultados concretos.

O que são as métricas?

São dados que quantificam o desempenho das suas ações de ações de marketing, seja nas mídias sociais, e-mail marketing, anúncios, blog ou outros. Com esses números você pode acompanhar todos os dias como está o andamento das suas campanhas.

As métricas podem medir desde o envolvimento gerado por uma campanha ao desempenho conseguido, novas oportunidades de negócio, geração de retorno, entre outras.

Mas você precisa saber o que medir e por que. Assim, faz a escolha adequada das métricas a estudar, do contrário você vai perder tempo com indicadores que não acrescentam nenhum valor ao seu negócio.

Conheça algumas das principais métricas que você pode acompanhar semanalmente ou mensalmente para analisar resultados.

o-que-sao-metricas

  1. Custo de aquisição por cliente (CAC)

O CAC serve para conhecer quanto a empresa gasta para conquistar um consumidor, seja para um serviço ou produto.

Aqui é importante incluir todos os custos envolvidos: investimentos em mídia, vendas, salários da equipe etc, por isso é mais trabalhoso. Mas o seu chefe vai adorar saber disso 😉

CAC = Despesas + investimentos em marketing e vendas / Número de novos clientes em um período

  1. Valor do tempo de vida do cliente (Lifetime Value ou LTV)

Se você calculou o Custo de Aquisição de Cliente anteriormente e não tem noção se ele é alto ou baixo. Basta colocá-lo em um contexto para saber se o cliente está gerando retorno.

Nesses casos, nada melhor do que medir o valor do tempo de vida do cliente. Basicamente, essa métrica consiste na receita média que cada cliente gera para a sua empresa ao longo de todo o tempo em que vocês fazem negócios.

O ideal, para um negócio financeiramente sustentável, é que o LTV seja ao menos três vezes maior do que o CAC.

LTV = Ticket médio mensal x Tempo médio de retenção de cada cliente

  1. Taxa de Cliques (Click-through-rate ou CTR)

A taxa de cliques diz muito sobre a efetividade de um anúncio. Afinal de contas, de nada adianta ter muitas veiculações se poucas pessoas chegarem à sua página de destino como normalmente é o seu objetivo.

Normalmente, o CTR é utilizado em forma de porcentagem:

CTR (%) = (Número de cliques no anúncio / Número de impressões) x 100

  1. Custo por clique (CPC)

Em uma campanha paga, o custo por clique é uma métrica básica para determinar quanto está sendo investido para que cada pessoa chegue até uma determinada página do seu site, como uma landing page, por exemplo.

CPC = Custo da campanha / Número de cliques obtidos

  1. Custo por lead (CPL)

Nem todas as empresas buscam gerar leads — algumas arriscam vender sem construir um relacionamento com seus potenciais clientes. Mesmo que, cada vez mais, se prove a necessidade de nutrir a relação entre empresa e consumidor.

Se o CPL for alto, é preciso que as conversões de leads em clientes sejam muito boas, ou que o ticket médio por cliente seja ainda mais alto. Mas normalmente, quanto mais baixo o valor, melhor.

CPL = Investimento total na campanha / Número de leads gerados

  1. Taxa de conversão

A conversão é uma ação do consumidor que o deixa mais perto de se tornar um cliente. E essa ação pode ser assinar sua newsletter, baixar um e-book ou clicar para ir ao site ou blog.

Independente disso, as conversões estão sempre no radar de uma campanha de marketing. O cálculo da taxa de conversão depende do objetivo estipulado. Mas, em geral, consiste na razão entre o número de visitas em uma página e o número de visitantes que de fato tomaram a ação desejada.

Taxa de conversão = núm. visitas página (alcance) / núm. de ações tomadas

  1. Visitas no site

O Google Analytics te dá essa métrica de forma simples, dentro do período que você delimitar e mostra quantas pessoas acessam seus conteúdos diariamente. Além disso, você pode descobrir quais são as páginas mais acessadas do seu site ou blog.

  1. Visitas únicas

É um número fundamental de ser monitorado, já que, comparado ao número total de visitas, permite saber a porcentagem de visitantes que retornaram ao seu site. Em geral, quanto mais pessoas estiverem retornando, melhor.

  1. Tempo gasto no site

Também disponível no Google Analytics, o tempo gasto no site é uma média de todas as pessoas que acessaram seu site ou blog num determinado período de tempo e quanto maior, mais interessante o seu conteúdo deve ser considerado. Além, é claro, da usabilidade do site ou blog e o número de CTA’s que mantém os internautas dentro da sua URL.

  1. Taxa de abertura de e-mail

A taxa de abertura revela a quantidade de pessoas que clicaram para ler o e-mail que você disparou. Para manter as taxas altas, o primeiro passo é escrever bons assuntos de e-mail.

Mas isso não é tudo: fazer uma limpeza periódica da lista também ajuda. É só excluir aquelas pessoas que não interagem há tempos.

  1. Taxa de cliques em e-mail

Depois de fazer com que as pessoas abram seus e-mails, você quer que elas cliquem nos links que você enviou. Isso deixará mais claro para você se os botões estão claros, se há botões suficientes ou se está convidativo.

Ufa! Essas não são todas as métricas, porém as mais comumente usadas nas análises de marketing digital para ter um acompanhamento concreto dos resultados. Mas se você precisar de uma mãozinha para estruturar o seu marketing digital, fale com a gente!

Sobre o autor

Luanna Hedler

Jornalista por formação, Social Media por profissão e Dançarina por paixão. Tem uma risada muito engraçada e olhos da cor do céu.

Gostou deste artigo?
Então assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo especial e GRÁTIS.