Guia para te ajudar a definir o orçamento de marketing

Empregar bem os recursos, evitar desperdícios, aumentar o custo-benefício – eis algumas das vantagens de realizar um orçamento de marketing para a sua empresa. Bem planejado, ele é peça-chave para o alcance de metas estratégicas, como posicionamento no mercado, divulgação e fortalecimento da marca, alcance de um novo perfil de clientes ou pura e simplesmente o aumento das vendas.

Mas a relevância da tarefa não a torna menos desafiadora. Por isso, preparamos um pequeno guia cheio de dicas para que você aplique na hora de definir para onde deve ser direcionada a verba de marketing do seu negócio. Vamos lá?

Para que o orçamento faça sentido, é preciso saber quais são os gastos do setor de marketing – essa informação evita que uma verba aleatória seja considerada sem a imposição de metas e objetivos. Empresas diversas de diferentes tamanhos possuem suas próprias necessidades, mas de maneira geral, os gastos do marketing envolvem:

  • Prestadores de serviço

Mesmo se possuir uma equipe interna responsável por essa área, algumas tarefas são executadas por agências de comunicação – contratar especialistas garante mais qualidade e intensifica as chances de ações bem-sucedidas. Inclua o custo dessas contratações dentro do orçamento de marketing.

  • Material gráfico

Cartões de visita, panfletos, cartazes e catálogos fazem parte dos canais off-line do marketing e costumam significar uma parte considerável do orçamento.

  • Mundo online

Existem diversas formas de marcar presença no mundo online – anúncios e campanhas em sites e redes sociais têm se mostrado uma ótima estratégia e, muitas vezes, com um custo-benefício mais vantajoso. Não deixe de investir neste canal!

  • Estrutura

Aqui é levado em consideração os gastos para manter um setor de marketing dentro da empresa. Eles incluem aquisição e manutenção de equipamentos, licenças de software usados para edição de textos e imagens e para automação de tarefas.

  • Eventos

A promoção de produtos ou serviços em eventos como feiras e exposições inclui gastos com locação de espaço, estande e material promocional, como brindes – todo este custo varia conforme o tipo e duração do evento.

Para descobrir quanto é necessário investir em cada ferramenta, defina uma meta que seja clara e contemple o objetivo da empresa. Exemplo: se você acabou de abrir uma loja no varejo, terá de investir em anúncios, sejam eles no modo online ou off-line, para que sua marca conquiste um lugar no espaço onde atua. Mas se o seu negócio já tem anos de mercado, pode ser uma boa ideia investir em fidelização de clientes, promovendo ações como promoções ou workshops que levem as pessoas a aumentarem a frequência de visitas ao seu ambiente.

Sabendo disso, fica mais fácil destinar a porcentagem ideal para atender cada área do marketing. Para estimar esses valores, use referências anteriores em trabalhos que já foram feitos, realize cotações e, principalmente, avalie a disponibilidade financeira da empresa –  se não houver muita flexibilidade, é interessante definir um teto e distribui-lo conforme os objetivos. Por fim, priorize o essencial e não se esqueça da margem de segurança, que deve cobrir de 15% a 20% do valor.

Orçamento feito, ações planejadas, é hora de acompanhar a agenda de execuções para descobrir o que está funcionando e o que precisa ser alterado – essas informações, inclusive, devem ser mensuradas para basearem o próximo orçamento. Não sabe como usar as métricas? A gente te ajuda aqui.

Precisa de especialistas para descobrir qual a melhor estratégia de marketing para a sua empresa? Manda um e-mail para a gente 😊

 

 

Sobre o autor

Francielle Buzzi

Jornalista, crossfiteira e mãe, ela é redatora do núcleo Intelbras aqui da Woop :)

Gostou deste artigo?
Então assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo especial e GRÁTIS.