Os argumentos que faltavam para você postar vídeos na web

A Copa de 1970 foi um dos momentos mais marcantes para o Brasil. A comoção tomou conta do país ao assistir as partidas que levariam a seleção a conquistar o tricampeonato mundial, no México. O que muitos talvez não saibam é que a Copa de 1970 marcou a primeira transmissão da TV em cores no Brasil.

Dos primeiros anos, em que apenas um público seleto tinha acesso ao aparelho em cores, a televisão rapidamente se transformaria no principal meio de comunicação, aqui e no mundo. E continua sendo. Atualmente, quase 90% dos brasileiros têm na TV o principal meio de informação, segundo o Ibope.

Mas após 50 anos de crescimento, a TV está perdendo espaço e, na outra ponta, quem ganha cada vez mais força são os vídeos na internet. O diretor geral do YouTube no Brasil, Alvaro Paes de Barros, estima que daqui a apenas quatro anos, o consumo de vídeos pela internet ultrapasse a televisão.

Segundo ele, mantendo o crescimento anual de 25% ao ano, o consumo de vídeos online deve mais que dobrar nos próximos três anos e chegar a marca de três horas por dia, em média. A projeção é de fato otimista, mas um dado é certo: 1 bilhão de usuários no mundo todo postam 400 horas de conteúdo por minuto no YouTube, a maior plataforma de vídeos online.

Ainda tratando de projeções, uma pesquisa da Cisco aponta que, em 2020, 82% de todo o tráfego da internet seja gerado por vídeos. O percentual apurado considera o aumento da quantidade de pessoas conectadas e a crescente qualidade dos vídeos, como os em 4K. Segundo o eMarketer, 86% dos usuários de internet brasileiros já assistem vídeos online.

Fáceis de consumir

Os vídeos publicados nas redes sociais são mais dinâmicos pois entregam informações de forma rápida e menos cansativa. A combinação de áudio e imagens permite que um grande volume de informações sejam repassados em poucos segundos. Por serem mais didáticos, os vídeos também facilitam a compreensão e exigem menos esforço, por exemplo, se comparados a um conteúdo escrito.

Numa analogia com as tradicionais “propagandas” na TV, os vídeos na web oferecem ainda a vantagem que o consumidor não precisa mais se deslocar de sua casa até o estabelecimento comercial para adquirir um produto ou serviço. Aliás, ele agora pode comprar de qualquer lugar, de onde estiver, usando seu celular. E está fazendo isso cada vez mais.

Oportunidade para não perder

Uma empresa que não investe em vídeos, segundo o Google, pode estar correndo o risco de não se comunicar com cerca de 30 milhões que já divide seu tempo entre a TV e os conteúdos na internet.

Mesmo porque, segundo uma pesquisa da Video Brewery, 80% das pessoas lembram de terem assistido um anúncio nos últimos 30 dias. E o melhor: 46% deles tomaram alguma ação.

Assim, investir nos vídeos online a partir de estratégicas de marketing digital bem elaboradoras é o caminho para criar muitas oportunidades de venda. Contanto, é claro, que o conteúdo oferecido seja relevante para o internauta consumidor, mas esse já é um assunto para outro post.

Sobre o autor

Carolina Tomaselli

Jornalista com J maiúsculo, ela tem o espírito investigativo na veia. Senso de humor e histórias malucas andam junto com essa mulher que, acredite, foi em todos os shows do universo!

Gostou deste artigo?
Então assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo especial e GRÁTIS.