Redes sociais: no que apostar em 2019?

Estar presente no meio digital tornou-se indispensável para as marcas. Uma boa estratégia engaja e atrai consumidores, fortalecendo a relação entre cliente e empresa. Por isso, um bom planejamento de marketing não dispensa o uso das redes sociais e plataformas de compartilhamento para criar comunicação e proximidade com os mais diversos públicos. Dá uma olhada no apanhado que fizemos sobre as tendências das principais mídias sociais para 2019:

Facebook

Ele ainda ocupa o 1° lugar no ranking de sites de relacionamento, com 2 bilhões de usuários em todo mundo. Mas expôs recentemente o declínio de alguns números que impactam os anunciantes: as pessoas estão passando menos tempo navegando dentro do site, além de terem reduzido em 21% o total de publicações com conteúdo pessoal.

Essas informações exigem novas táticas de marketing para continuar alcançando seu público-alvo com fanpages, até por que as recentes mudanças no algoritmo do Facebook minaram o alcance orgânico das postagens.

Mas muito mais do que simplesmente patrocinar um anúncio, é importante para a marca produzir conteúdo de qualidade – é ele que irá render curtidas, compartilhamentos, visualizações e engajar os consumidores. Aposte em artigos informativos, imagens e postagens interativas, e lembre-se que vídeos são mais eficientes do que textos: o jornal Washington Post prevê que, em 2019, eles irão representar 80% do tráfego de internet.

Instagram

Este ano, a plataforma que hospeda fotos e vídeos alcançou 1 bilhão de contas ativas em todo o mundo – 50 milhões apenas no Brasil. Com recursos como o Stories, que permite a publicação de fotos e vídeos de até 10 segundos para visualizações em 24 horas, ele se tornou ainda mais atraente para as marcas, que ocupam em peso os perfis comerciais.

A liberação recente da precificação em fotos de produtos e o redirecionamento para e-commerces prometem alavancar a quantidade de negócios fechados na rede a números impressionantes, tornando-a a preferida das empresas na hora do planejamento de marketing.

Abuse da criatividade e cative o público publicando vídeos, fotos e fazendo transmissões online – a média de postagens de grandes marcas é de 2 a 3 vezes por dia.

YouTube

Essa é uma das redes sociais que mais cresceu nos últimos anos. O site que permite a publicação de vídeos tornou-se um fenômeno. Somente no Brasil, o Youtube estima mais de 100 milhões de usuários, que procuram por conteúdo relevante, envolvente e autêntico.

E antes de definir se sua empresa precisa de uma conta no YouTube, avalie se sua audiência está assistindo a vídeos relacionados ao seu negócio. Caso a resposta for positiva, prepare-se para produzir material de qualidade e desenvolver temas que informam, tiram dúvidas e ensinam como fazer. Ou mesmo vídeos feitos com o celular, mais reais e próximos ao cliente.

Influenciadores digitais

O relacionamento entre marcas e influenciadores digitais ainda está em construção. Febre recente, há pouco tempo grandes e pequenas empresas buscavam firmar parcerias com as personalidades com maiores números de fãs e seguidores. Atualmente, é possível notar uma sutil diferença: a qualidade está sendo melhor considerada do que a quantidade. Nessa conta, além dos números, também estão sendo avaliados o caráter e a ética dos influenciadores, já que é comum surgirem polêmicas negativas que as marcas correm para se desassociar.

Portanto, procurar pessoas com menos seguidores, mas com conteúdo direcionado a determinado nicho, permite mais controle do anunciante e a possibilidade de atingir o público-alvo mais diretamente.

Essa interação costuma ser positiva já que essa parceria garante ações super criativas e mais naturais. Importante: fazer o dever de casa, conhecendo o influenciador, seu conteúdo e seu público evita erros e o efeito oposto de uma boa campanha.

Não se esqueça: as redes sociais são ferramentas valiosas que oferecem inúmeros recursos inovadores para manuseá-las, mas exige, talvez muito mais do que as mídias tradicionais, que você descubra onde está seu cliente, avaliando gênero, idade, linguagem e o conteúdo produzido ou compartilhado para elaborar um planejamento adequado ao seu produto e alavancar seus resultados. Quer saber mais sobre os desafios do marketing digital? A gente fala aqui 😉

Sobre o autor

Francielle Buzzi

Jornalista, crossfiteira e mãe, ela é redatora do Núcleo Digital aqui da Woop :)

Gostou deste artigo?
Então assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo especial e GRÁTIS.